Edu sem fronteiras

wpid-20150609_153206.jpg

Foto: Wilson Albino Pereira

Wilson Albino Pereira

“Liberdade – essa palavra que o sonho humano alimenta: que não há ninguém que explique, e ninguém que não entenda” (Cecília Meireles).

Se pudesse, Eduardo Martins de Carvalho, 22 anos, estudante, gastaria as veredas passeando por esse mundão. Primeiro, seus pés ‘beijariam’ o solo, depois, ignorariam escorregões, topadas e perfurações. Se sentisse câimbras, cravaria ainda com mais força os pés no pó desse chão, e, diria para si: “Estou proibido de desistir”. Em suas andanças, ia constatar que muito além do que seus olhos podem ver, tudo é horizonte.

Só no mundo do faz de conta, Eduardo exerce, plenamente, seu direito de ir e vir.  Em seus sonhos fica de pé, anda ou corre sem precisar ser ajudado por familiares, ou por braços solidários de estranhos. Em sua imaginação, ele baila sem os incômodos tutores*, esses aparelhos que, comprimem demais seus tornozelos, a ponto, inclusive, de deixa-los em carne viva.

wpid-20150609_152201.jpg

*Tutor de Sarmiento

Eduardo demorou a nascer, e, isso causou-lhe paralisia cerebral, de acordo com as explicações de sua mãe, Dona Darci. Por esse motivo, diariamente, ele faz fisioterapia, fonoaudiologia e terapia ocupacional. Atualmente, são necessários quatro ônibus para chegar aos destinos e cumprir sua agenda lotada de tarefas. Para regressar ao lar, são necessárias outras quatro conduções.

wpid-20150609_153539.jpg

Disputa no Sul de Minas rendeu ouro a Edu.

Além dos estudos e da natação, Eduardo também se dedica a jogar bocha, um esporte que requer tanto habilidade quanto inteligência. “É mesmo apaixonante. Precisa ter mais jeito que força”, afirma. Já perdeu a conta de quantos campeonatos participou. Quando perguntado qual é o segredo para conquistar tantas medalhas, ele diz que, não há segredo, é só querer. Edu ainda informa que, mesmo febril, ou com dores nos rins, e até mesmo com sangramento nasal, jamais abandonou uma competição.

Em uma conversa amigável, Eduardo abre o sorriso, a porta da casa  e do coração. Entusiasmado, fala de coisas diversas, dentre essas, ler e escrever poesias. Também fala sobre seus sonhos, da importância da internet como ferramenta de inclusão social, e por fim, segreda amores.

wpid-20150609_153738.jpg

Livros e rascunhos

Os textos escritos por Eduardo apresentam assuntos do cotidiano. Têm poesias e crônicas relacionados ao amor e à amizade. Já renderam pelo menos dez livros que, são reproduzidos sob encomenda e, distribuídos de forma independente.

Já conquistou boas amizades e troca ideias, diariamente, com pessoas residentes em outros estados. Tudo graças às redes sociais.“De outra forma, talvez, isso nunca seria possível”, alega.

Eduardo não se recorda qual foi a última vez que foi vitima de preconceito. diz que faz questão de perdoar e esquecer quaisquer ofensas. Prefere rememorar os bons momentos, as palavras carinho e incentivo que sempre recebe dos parceiros.

Se as limitações físicas dificultam a agilidade, a rapidez do raciocínio compensa o que falta. No pensamento, Edu é mesmo ligeiro. Suas respostas surgem no rastro das minhas perguntas…

Eu: Qual é seu maior sonho?

Ele: Ah, são muitos mas, andar sem precisar de ajuda, estudar direito, me casar e constituir família, são alguns deles.

Eu: Qual seu escritor preferido?

Ele: Cecília Meireles, pois adoro as poesias dela.

Eu: Qual a pessoa que você admira?

Ele: pode ser duas?

Eu: Claro.

Ele: Minha avó, Maria Marta Martins que, é tudo pra mim, e minha professora Sônia Queiroz, que me ensinou a ler e me incentiva a todo momento.

Eu: Qual é o artista que você mais curte?

Ele: Zezo, ‘o cantor apaixonado’, o melhor do mundo! Ah, conhecer ele também faz parte da minha lista de sonhos.

Eu: você disse que está apaixonado…?

Ele: É isso mesmo. Estou perdidamente, loucamente apaixonado. O nome dela é…

Infelizmente, caros leitores, não estou autorizado a revelar…

wpid-20150609_153054.jpg

Sorridente e esperançoso, Eduardo segue a vida.

Anúncios

5 comentários sobre “Edu sem fronteiras

  1. nane11214309 disse:

    São histórias como a de Eduardo que faz a gente refletir mais e mais sobre o nosso dia-a-dia. Exemplo de superação, força de vontade para vencer qualquer tipo de barreira, e sabedoria para contornar qualquer tipo de situação da vida. Wilson, parabéns por essa e outras publicações!

    Curtido por 1 pessoa

  2. Ernani Couto disse:

    São histórias como a de Eduardo que faz a gente refletir mais e mais sobre o nosso dia-a-dia. Exemplo de superação, força de vontade para vencer qualquer tipo de barreira, e sabedoria para contornar qualquer tipo de situação da vida. Wilson, parabéns por essa e outras publicações!

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s